segunda-feira, 17 de outubro de 2011

Ore!

"Ore, meu irmão, ore. Ore, a despeito das oposições de Satanás. Passe horas em oração. Passe horas em oração. Prefira negligenciar a companhia dos amigos do que deixar de orar. Prefira jejuar, abster-se do desjejum, do almoço, do jantar, e não dormir, do que deixar de orar. E não adianta ficarmos conversando sobre oração; temos que orar muito, e com fervor. A vinda do Senhor está próxima. E ele virá despercebidamente, quando as virgens estiverem dormindo". (Andrew Bonar)

terça-feira, 18 de janeiro de 2011

Quanto maior, menor.

É como neste caso: quando eu era criança, falava, pensava e raciocinava com criança. Mas quando me tornei homem, meus pensamentos se desenvolveram muito além dos pensamentos da minha infância, e agora eu deixei as coisas de criança. (I Coríntios 13.11 – Bíblia Viva)

Crianças são bonitinhas, amáveis, engraçadinhas, trazem alegria, pureza, possuem muitas virtudes. Mas ninguém pode ser criança sempre, Peter Pan é apenas uma fábula, que nunca daria certo na vida real. Uma criança que não cresce, que não se desenvolve certamente está doente, lhe falta algo, a vida não está caminhando como deveria.

No texto bíblico acima, Paulo está mostrando que o mundo espiritual tem muitas semelhanças com o mundo físico. Assim como o crescimento natural de uma criança, o crescimento espiritual, o amadurecimento, o avançar no relacionamento com Deus é o caminho do discípulo saudável.

Mas que sinais demonstram que estamos crescendo? Claro que são muitos e alguns bastante complexos, não visíveis a olhos nus. Quero compartilhar neste artigo um dos indicadores deste crescimento espiritual:

Percebemos que estamos crescendo quando nos tornamos menores!

Gosto do confronto dos valores de Deus em relação aos nossos valores. Os discípulos de Jesus, logo após a Ceia, começam a discutir sobre qual deles era o maior (Lucas 22.24-27). Seria cômico, se não fosse trágico. Logo após um momento tão especial, os discípulos agem como meninos, disputando quem era o mais importante. Jesus então os ensina que no Reino de Deus o maior é o menor, o maior é o que serve. Ele, o próprio Jesus, era exemplo desta palavra. Ele mesmo disse que veio para servir e não para ser servido (Mateus 20.28).

Quanto mais crescemos em Deus mais entendemos os valores do Seu Reino. Quanto mais crescemos espiritualmente a consciência de que nada somos nos enche a alma, percebemos que graça de Deus é algo fantástico. Amados mesmo ainda sendo pecadores, escolhidos sem nenhum mérito, frágeis vasos de barro que somos carregando a glória de Deus.

Crianças estão sempre disputando o primeiro lugar, estão sempre brigando para serem os mais importantes. Discípulos que querem crescer em Jesus preferem servir, se doar, diminuir para que somente o Mestre apareça e receba toda glória. Que o Senhor nos ajude a crescer.

Pr. Paulo Campos Jr.
paulocamposjr@hotmail.com

terça-feira, 5 de outubro de 2010

Um coração terno e uma pele grossa

Estou lendo o livro de Charles R. Swindoll que narra os passos de Paulo. O livro é simplesmente maravilhoso. Em um determinado capítulo ele fala do equilíbrio que Paulo conseguia ter. Um coração terno, que se importava, amava, era cheio de misericórdia e ao mesmo tempo a maneira sóbria e firme que lidava com a oposição.

Assim como diz o autor, também creio que o coração terno vamos alcançando com o trabalhar do Espírito Santo em nós. E a pele grossa, que não nos deixa ser tão sensíveis às críticas, se adquire com o tempo, normalmente vivendo situações que a princípio nos machucam, mas quando respondemos bem a tais situações, vamos aprendendo a lidar com elas.

Alguns exemplos que certamente encorajam e fortalecem, principalmente aqueles que estão mergulhados no ministério de forma integral:

“Se tivesse de ler, e ainda por cima, de responder todos os ataques que me fazem, este escritório poderia muito bem ficar fechado para qualquer outro negócio. Faço o melhor que sei, o melhor que posso e pretendo continuar assim até o final. Se, ao final, ficar provado que estou certo, o que foi dito sobre mim não terá muito valor. Se ficar provado que estou errado, mesmo que dez mil anjos declarassem que eu estava certo, isso não faria a menor diferença.” (Abraham Lincoln)

“Arranje um amigo para apontar suas falhas ou, melhor ainda, receba um inimigo que irá observá-lo atentamente e espicaçá-lo selvagemente. Que bênção um crítico assim irritante será para um homem sábio. Que aborrecimento intolerável para um insensato.” (Charles Spurgeon)

Por fim:

Para toda realização há um preço;
Para todo alvo á um oponente;
Para toda vitória há um problema;
Para todo triunfo há um sacrifício.

(William Henry Ward)

sábado, 11 de setembro de 2010

Um olhar do Mestre coloca em ordem nossos valores

Pelos caminhos da comodidade andei,
Pelas sendas do prazer e do conforto viajei.
Até que um dia, num tranquilo lugar,
O Mestre, face a face, eu pude encontrar.

Posição, posto e riquezas buscava,
Para o corpo, tudo, mas para a alma, nada.
Na louca corrida da vida entrei para ganhar,
Quando o Mestre, face a face, eu pude encontrar.

Castelos construí até que bem altos ficassem
E que suas torres o azul do céu tocassem;
Jurara com mão de ferro governar,
Quando o Mestre, face a face, eu pude encontrar. Eu o encontrei, o conheci e enrubeci ao notar
Seus olhos com tristeza sobre mim fixar;
Enquanto cada castelos meu desaparecia,
Em lugar de castelos sem sentido,
Nada mais pude ver senão o rosto do Mestre querido.

Meus pensamentos são agora para as almas dos homens,
Perdi minha vida para encontrá-la outra vez;
Desde aquele dia num lugar tranquilo,
Onde o Mestre, face a face, eu pude encontrar.

Tradução do "I Met the Master Face to Face". (Domínio Público)

quinta-feira, 10 de junho de 2010